Capela de Santo António

A capela de Santo António foi fundada pelo Padre João Pinto, o pároco na altura, em 1598. Inicialmente a capela chamava-se Capela do Carvalhal, pois o local onde está situada teve como nome Lugar do Carvalho do Algar.

Ao lado da estrada principal de acesso à vila, ao encontro da que segue para Castelo de Paiva, ergue-se destacadamente num ponto que foi cimo de reduzido morro, que o corte das estradas mais vincou, sítio agora isolado por paredões, formando um adro alto. Esse adro serviu de pequeno campo cemiterial, vendo-se ainda uma campa do século passado.

A capela afasta-se para o extremo do nascente, levantando-se ao lado oposto um cruzeiro que é digno de sua nota.
Esta pequena capela compõe-se hoje de um corpo e de capela-mor. O retângulo que é o corpo data dos fins do séc. XVI, como indica o milésimo gravado acima da entrada: 1599. Foi-lhe acrescentada a capela-mor no séc. XVIII, decorada a cruz trevada posta no vértice do topo, e dois pináculos na linha dos cunhais, estes marcados de pilastras.

O corpo é de fiadas regulares de cantaria, sem pilastras nos ângulos, rematadas as paredes de leve moldura do tempo. A porta principal, retangular, tem as ombreiras e a padieira corridas pelas mesmas molduras; os postigos laterais e a ligeira fresta sobre a mesma são de arestas biseladas. Na parede, por cima da porta, além da referida data, está cravado um pequeno escudo com os cinco crescentes dos Pintos, família representada em brasões regionais.

O estilo da capela é arcaizante relativamente à evolução geral, mas integra-se no das construções regionais, o que lhe dá carater próprio.